Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

all about little lady bug

ir, fazer acontecer, filosofar, sonhar, amar, amarfanhar, imaginar, criar, dançar, aprender e escrever - não necessariamente por esta ordem

all about little lady bug

ir, fazer acontecer, filosofar, sonhar, amar, amarfanhar, imaginar, criar, dançar, aprender e escrever - não necessariamente por esta ordem

o significado do aniversário

D8FCHj-U8AAFZE-.jpg

cá em casa nunca houve o hábito de fazer festas de aniversário. eram coisas dispendiosas e manteve-se a tradição de apagar as velas e comer uma fatia de bolo, em família. há muitas fotografias desses tempos: eu a soprar as velas, ao lado do mano - e ele a soprar as velas do bolo dele, comigo a seu lado. o mano faz anos a 30 de maio e eu a 2 de junho. três anos de diferença e tantas diferenças. e uma sintonia estranha.

 

e eis que fiz 40 anos. é mesmo só um número, pois não sinto assim nada de diferente. para celebrar fui fazer 4 tatuagens, uma por cada década de vida (mentira, fui fazer 4 rabiscos pois fica-me mais em conta e o rapaz dá uso à agulha como deve ser). marquei a sessão com alguma antecedência pois precisava perceber se o que tinha no mealheiro chegava para o que queria fazer. não comentei com ninguém, mas percebendo que o mano estava de férias, mandei sms: "queres vir comigo? vou fazer umas tattoos?" ao que o mano respondeu que estava ocupado e não ia dar. 

 

mais tarde ele mandou uma foto com a razão da sua "ocupação": pois é, também ele tinha ido tatuar-se, sem dizer nada a ninguém. "somos mesmo irmãos". e somos. com tudo o que temos de diferente, há coisas que são muito nossas. 

 

os manos Sousa são assim: comemoram o aniversário em silêncio, com tatuagens ou com o que lhes apetecer. deixámos de soprar velas há uns anos, mas isso não significa que não haja outros momentos doces, em família. 

 

bebinca_bulabula.jpg

 

 

 

"A"

 

20150312-_MG_6151.jpg

 

tinha uma grande paixão por esta senhora: "A" Simone. ainda tenho. tive o privilégio de tomar café na sua companhia, a propósito do café central da revista geradora mai'linda da vida que é o #4.

e ainda:

20150312-_MG_6358.jpg

 

 (as fotografias são do Herberto Smith) 

 

 

a XVII já cá canta

Untitled design (62).png

 

conheci o Filipe há uns meses, através da Susana e do João, do estúdio free ink, em sintra. partilhamos o amor pelas tattoos - isso é mais do que óbvio.

quando soube que o Filipe ia começar a tatuar, fiquei muito contente. ele é super dedicado e atencioso e daria, na minha opinião, um excelente tatuador. ofereci-me para ser uma "cobaia" nas suas mãos. cedi-lhe pele, na troca de um desenho que ele achassse que "era a minha cara". e é. mas mora no meu gémeo direito, lado a lado com a minha primeira tatuagem. 

se estou satisfeita? muito. adoro a nova tattoo e ainda mais o facto de ter contribuído para o crescimento deste novo artista da tinta e da agulha.

 

happy, very happy 

 

o pai natal passou por cá

Untitled design-3.png

 

tinha luvas pretas e uma máquina que fazia tssss tssss tsssss, com umas agulhas. e deixou-me uma alice tatuada na pele. uma alice curiosa, ávida por abrir novas portas e descobrir novos mundos.

sabemos que a curiosidade matou o gato... mas no caso da alice é a curiosidade que lhe dá vida.

 

obrigada, pai natal. sois muito generoso e lindo.