Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

all about little lady bug

ir, fazer acontecer, filosofar, sonhar, amar, amarfanhar, imaginar, criar, dançar, aprender e escrever - não necessariamente por esta ordem

all about little lady bug

ir, fazer acontecer, filosofar, sonhar, amar, amarfanhar, imaginar, criar, dançar, aprender e escrever - não necessariamente por esta ordem

o que queres ser?

desafio de escrita dos pássaros #2.1

quando somos pequenos perguntam-nos tantas vezes: "o que queres ser quando fores grande?". vamos para a escola, seguimos a universidade ou entramos no mercado de trabalho e deixam de fazer essa pergunta. assume-me que aquilo que fazemos, em adultos, é aquilo que queremos ser. e quantas vezes não é? 

seguimos pela vida adulta adentro, por aí fora, a cumprir com as metas disto e daquilo. umas metas são nossas, outras tornam-se nossas por vicissitudes da vida. seguimos caminho. e aquela pergunta desaparece e não volta mais.

envelhecemos. a pele fica enrugada, os joelhos começam a doer, a memória começa a falhar. e aquela pergunta não regressa.

eis que surge uma pergunta aterradora: o que quere ser quando morreres?  

"sei lá eu. acho que com isso da morte a coisa não vai correr bem. morremos e pronto." 

e já pensaste mesmo nisso? pensar no que queremos ser quando morrermos obriga-nos a pensar um bocadinho no que queremos ser enquanto vivemos. e confesso que não sei qual das perguntas me assusta mais. 

 

 

desafio de escrita d'os pássaros.

tema: acho que a coisa não vai correr bem.

 

 

luz e sombra

a alegoria da caverna

um dos textos mais conhecidos da história da Filosofia é a Alegoria da Caverna. trata-se de um texto que faz parte do livro A República, de Platão. neste livro, como em grande parte dos textos redigidos pelo mestre de Aristóteles, a figura central é Sócrates, o filósofo que nada escreveu e que conhecemos pelos diálogos redigidos por Platão. 

neste texto descreve-se a situação dos prisioneiros que se encontram numa caverna e que olham para uma parede onde estão a ser projectadas sombras de uma realidade que não conseguem ver.

 

a alegria da caverna

sim, se passarmos uma vida a olhar para uma parede, sem nunca ver outra coisa, é fácil habituarmo-nos a isso e chamar-lhe realidade. no texto há um prisioneiro que se solta e que faz um caminho no sentido de perceber se há vida para lá das sombras. e há. é uma realidade muito luminosa, de tal forma que os seus olhos demoram tempo a habituar-se. dói olhar para a luz, como sabemos. quando acordamos de manhã e abrimos os olhos, o processo de abrir a janela e deixar a luz entrar faz-se com alguma calma.

a sombra, ainda que seja um sinal meio distorcido, não deixa de ser um sinal de que há luz. "onde há sombra, há luz." - tal como o onde há fumo, há fogo.

 

a verdade da luz, nem sempre alegre 

a sombra dá-nos conforto. a luz obriga-nos a passar por alguns momentos de dor, de desconforto e por isso hesitamos entre aquilo que já nos é familiar e o que ainda não conhecemos. é humano viver situações como esta, em que temos de escolher: bazamos ou ficamos

 

 

 

este foi o último texto da 1ª temporada do desafio dos pássaros. e que bom foi poder participar, pelo desafio em si, de escrita,

e pela comunidade que tive oportunidade de conhecer através d'os Pássaros

Pág. 1/2