Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

all about little lady bug

ir, fazer acontecer, filosofar, sonhar, amar, amarfanhar, imaginar, criar, dançar, aprender e escrever - não necessariamente por esta ordem

all about little lady bug

ir, fazer acontecer, filosofar, sonhar, amar, amarfanhar, imaginar, criar, dançar, aprender e escrever - não necessariamente por esta ordem

já está. já existe. já podem visitar. é o #websitedajoanarita

facebook.jpg

 

é a minha cara. tal e qual. o #websitedajoanarita é o lugar onde podem encontrar a resposta para a pergunta "joana, o que fazes?". bom, para uma parte dessa resposta, pois ali falta o lado da filosofia para crianças e jovens, que já tem o seu espaço próprio há algum tempo.

 

faltava-me um espaço para poder falar da minha vida enquanto digital strategist e para divulgar os meus serviços (hey, conversa comercial faz parte), a saber: copywriting, community management, live tweeting, digital strategy, reputation management, gestão de processos e, ainda, o ghostwriting.

 

espero que gostem. e que encontrem por lá o diamante. 

5 razões para ver a III temporada de La Casa de Papel

não é pelo dinheiro, é pela família.

aviso: contém spoilers.

 

65085047_10217517912271989_9175410557967138816_n.j

 

"guantanamera, guajira guantanamera..."

 

La Casa de Papel começa por ser uma série de tv que passava num canal espanhol. não singrou como tal e a Netflix decidiu pegar na série, dar-lhe uns retoques e adaptar para os seus conteúdos. resultado? apaixonámo-nos pelo misterioso Professor, pela explosiva Tóquio, pela magnífica Nairobi, pelo sarcástico Berlim, pelo riso do Denver, pelos princípios de Moscovo, pelos guerreiros Oslo e Helsínquia, pelo jovem Rio, pela cobardia quase corajosa de Arturito. de repente, bella ciao tornou-se um hino (não sei bem do quê, vá) e as máscarado do Dali criaram um símbolo da resistência. 

razão nº1 para ver a série: é um conteúdo que se consome muito bem, de preferência com gomas e um tinto a fazer companhia. entretenimento puro, com uma história cativante: um assalto impossível e com algumas atitudes éticas que poderíamos considerar irrepreensíveis - Kant, passo-te a palavra.

 

D_2s9F_X4AE8oFB.png

 

 

o ritmo

 

podíamos pensar: ai ai ai, fizeram a 1ª temporada, foi fixe, mas agora vão estragar tudo se continuarem. a verdade é que não estragaram: a história continua com ritmo, continua a deixar-nos expectantes para o próximo episódio. continua a envolver-nos na necessidade absoluta de fazer maratona pela noite dentro. e esse ritmo está ligado à razão nº 4.

razão nº2 para ver a série: o ritmo da história, pautado pelo conhecimento que nos dá de cada uma das personagens e também pelo humor.

 

as viagens no tempo 

 

a terceira temporada não acontece só no presente: vamos viajando até aos tempos idos em que o Professor e o seu irmão berlim planeiam o assalto à Casa da Moeda - e não só. 

razão nº 3 para ver a série: poder conhecer melhor as personagens que nos encantaram ou que odiámos nas 1ª e 2ª temporadas e perceber algumas ligações com personagens que, para nós, são novas nesta 3ª.

 

as personagens 

 

nesta terceira temporada o conhecimento que temos das personagens é mais profundo. vamos perceber melhor quem era Berlim, a relação de Lisboa e Professor é intensamente trabalhada no decorrer da história e o amor, ai o amor,  é constantemente questionado: ora como motivo para fazer isto, ora como motivo para desistir daquilo. 

razão nº 4 para ver a série: vamos conhecer um lado do Professor que desconhecíamos, bem como de Helsínquia. Palermo acrescenta valor à narrativa e Nairobi é a rainha do pedaço. 

 

D_1hjL9XUAAmNLb.jpg

 

 

a banda sonora é do caraças 

 

e depois há a música que, conjugada com os planos de realização, adensa a acção e prende-nos ao écran.

razão nº 5 para ver a série: esta playlist

 

 

se queres saber mais coisas sobre esta e outras #seriesfixesparaver subscreve a newsletter do Fábio Conde Martins.

 

 

com a excepção da 1ª fotografia, as outras imagens são da netflixpt

menos é mais. eu sei, parece livro de auto-ajuda.

tumblr_ptrv9ophym1qhzqx6o1_500.jpg

e se calhar até é. mas sem pretensões de ajudar os outros, é totalmente egoísta este "menos é mais". juro que só vi um episódio da marie kondo e que não me serviu sequer para aprender a dobrar as camisolas de outra maneira. e ao ver esse episódio reconheci verdade em muitas das coisas que a senhora diz: temos coisas a mais. roupas, caixas, caixinhas, mala, mochilas, sapatos, livros (custou-me escrever isto, tá?), cadernos, canetas, pijamas, calças, botas, recuerdos, coisas e coisinhas. a mais. acrescento a este universo: tenho "amigos" a mais no facebook, sigo gente a mais no twitter e no instagram, tenho na agenda twitter chats a mais onde quero participar, subscrevo newsletters que nunca leio. há coisas que me faltam, mas nem acho que o que tenho a mais vá substituir o que me falta. por isso, procurei equilibrar-me, nas últimas semanas.

como?

destralhando gavetas e armários. o próximo passo são as prateleiras e os livros (#prayforjoana). 

fazendo unfollow a contas no twitter que não acrescentam valor aos meus dias; eliminando "amigos" do facebook; cancelando newsletters. neste processo comprei um dicionário, aproveitei os saldos para comprar calças de ganga novas (as que tenho estão "russas" e já não dão para levar a reuniões). 

 

e além da parte material, a imaterial: o tempo

decidi mariekondar a minha presença no e-mail e no slack, por exemplo. já o faço com o facebook e com o linkedin, com o whatsapp. continuo a gostar muito de estar no twitter e de me divertir no instagram. como sigo menos gente no twitter estou a conseguir tirar melhor partido da rede. vale mesmo a pena investir tempo no unfollow (e eu já segui umas 2000 e tal contas e fiquei nas 645 - e quero reduzir. lamento que algumas pessoas tenham ficado "ofendidas" mas é só um unfollow, numa rede social. e podem sempre falar comigo via DM ou via e-mail).

 

menos é mais

e é mesmo. o indicador qualidade supera o indicador quantidade, em tantos aspectos da nossa vida. há muitas recaídas, pois o hábito de ter muitas coisas pode ter-se apoderado da nossa forma de estar, de modo até algo inconsciente.

o exercício da marie kondo é fabuloso e tão simples: pegar na roupa toda e colocar em cima da cama para termos noção da quantidade. e depois escolhemos com base na qualidade.

apliquem esta metáfora às pessoas que estão à vossa volta (ui, parece cruel, não é? deixar de lado algumas pessoas, por não serem relevantes para a nossa vida. é cruel, mas só custa a primeira vez. e todos seguem o seu caminho.)

experimentem destralhar a vossa vida, no vosso tempo, uma etapa de cada vez. festina lente - apressa-te devagar. e esta é a parte não egoísta da publicação: hey, experimentem. e depois contem-me como foi. 

das boas notícias

 

tenho andado zangada com ao alive e já falei disso aqui. rendi-me ao sbsr - até anunciarem a mudança para o meco.

resultado? senti-me uma 'ssoa desalojada ao nível dos festivais de verão e este ano não comprei bilhete para nenhum deles; nem vou em trabalho, pois suspendi a minha colaboração como repórter de música. 

ontem o alive deu-me a volta: qual "ex" que volta a mandar mensagem, a dizer exactamente o que queremos ouvir. aquelas palavras que arrepiam a pele e nos deixam o coração acelerado. sem "beijinhos no pescoço", indo direitinho ao assunto. 

o alive segredou-nos ao ouvido: a doninha está de volta. e era tudo o que eu queria ouvir para voltar aos festivais de verão, em 2020. para voltar ao alive, onde já fui tão feliz

vamos? 

 

da_weasel.jpg

 

 

salas de espera

as salas de espera das clínicas e dos hospitais são locais muito ambíguos. aquilo que te leva a estar num desses locais pode ser um simples exame de rotina, uma consulta, um tratamento longo e penoso ou a necessidade de apoiar alguém que está num desses processos. podes estar ali para levantar os exames de um familiar. não é claro o que estás ali a fazer e podes entrar confiante e sair derrotado com uma notícia menos boa.

ontem fui fazer um exame de rotina, coisas próprias dos 40 anos.  ao sair encontrei uma senhora na sala de espera, sozinha, sentada a chorar. enquanto arrumava o documento para ir levantar os meus exames olhei em volta, para perceber se ela estava mesmo sozinha ou se tinha alguém por perto.

avancei até à senhora senhora, baixei-me um pouco e perguntei "desculpe, estou a vê-la tão aflita, precisa de alguma coisa?"

a resposta: "o meu cão morreu. mas não preciso de nada."

disse-lhe: "então precisa de um abraço".

 

 

ainda sobre a #terceiraoportunidade

mel_uppa_animais.j

recordam-se da rubrica #terceiraoportunidade?

pois bem, trago boas notícias: a Salomé já encontrou uma família. e foi adoptada na companhia de outra UPPAliana.

 

aproveito a oportunidade que a Petify me deu para falar sobre adopção de animais adultos, para recordar que há muitos cães que estão na #uppa_animais há tempo demais, à espera da sua oportunidade. recordo também as boas razões para adoptar animais adultos

 

tenham uma excelente sexta! 

da importância dos pequenos gestos

bOjJyXQK.jpg

o Tiago convidou a #uppa_animais para participar no webinar Línguas de Gato, uma iniciativa da Petify. e agora perguntam vocês...

...o que é a Petify?

 

O Petify tem como objetivo ajudar todos os animais a encontrar um lar através de uma plataforma interativa.

Através da nossa plataforma queremos:

  • Ajudar as pessoas a encontrarem o seu animal perdido
  • Ajudar as associações a encontrar um lar para os seus animais
  • Ajudar as pessoas a divulgarem animais abandonados
  • Estimular a adopção de animais

Podemos dizer que a nossa plataforma funciona como perdidos e achados de animais, oferecendo soluções de contacto direto entre os visitantes e os anunciantes.

Ajude o animal que se encontra abandonado na sua rua a encontrar um lar cheio de amor, um amigo ou familiar a encontrar o seu animal perdido, ou encontre um novo amigo de quatro patas.

 

tive oportunidade de conversar sobre o trabalho que desenvolvo na #uppa_animais, como voluntária, descrevendo um pouco o quotidiano do albergue. como devem imaginar, falei da Mel, do meu afilhado Fred e de poop collecting.

falei um pouco sobre as variadas formas de voluntariado que podemos colocar em prática: todas são válidas e o importante é encontrarmos aquela que se adequa à nossa vida, à nossa disponibilidade, às nossas competências. por exemplo, a Patrícia criou um projecto de desgin e venda de tshirts; a Carla dá aulas de yoga

 

espero que gostem: visitem o canal YouTube da Petify e deixem os vossos comentários.

 

"joana, onde trabalhas?" / "joana, o que fazes?"

já falei algumas vezes da dificuldade que tenho em dizer o que faço. a verdade é que faço muitas coisas e todas elas têm algo em comum: as perguntas. depois, todas essas coisas acontecem em espaços muito diferentes e até posso trabalhar a partir de um qualquer jardim.

 

encontrei o Nuno Conceição num desses jardins a partir do qual posso trabalhar. aliás, quando o conheci pedi-lhe 5 minutos para ligar o router, o pc e fazer uma publicação cuja aprovação tinha chegado naquele momento. foi depois disso que começámos a conversar sobre quem sou, o que faço e também sobre o site que a ActiveMedia está a preparar (e que está lindo!).

 

depois, o Nuno apontou-me sua máquina fotográfica e o resultado foi este: 

 

 

contacta o Nuno e marca a tua sessão fotográfica: a minha aconteceu no jardim, mas o Nuno, tal como eu, trabalha em sítios diferentes 

Mais sobre mim

foto do autor

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2010
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2009
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2008
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D