Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

all about little lady bug

ir, fazer acontecer, filosofar, sonhar, amar, amarfanhar, imaginar, criar, dançar, aprender e escrever - não necessariamente por esta ordem

all about little lady bug

ir, fazer acontecer, filosofar, sonhar, amar, amarfanhar, imaginar, criar, dançar, aprender e escrever - não necessariamente por esta ordem

hoje é o melhor dia para casar

 

é assim que "reza" a música do Quim Barreiros, sobre o dia 31 de julho. a seguir entra agosto e blá blá blá.

tumblr_pcq79ibCmu1qhzqx6o1_500.jpg

e o mês de agosto vai trazer consigo uma vaga de calor (tal como a imagem ali de cima comprova), vai trazer um país em coma (é o mês em que o país pára, até demais, imho) e para mim traz-me tempo para escrever e colocar uma série de coisas em dia.

 

a #terceiraoportunidade vai voltar em setembro, com mais histórias de animais que aguardam pela sua família, num canil ou albergue, há tempo demais. 

 

como sou muito amiga dos animais, adoptei estes dois exemplares que conto deitar abaixo em boa companhia:

tumblr_pcpbuaYX8u1qhzqx6o1_500.jpg

 

e por aí, o que se faz? férias? trabalho? hey, Jules, já entregaste o teu relatório? 

 

um quick update em termos de leituras e de séries:

tenho lido Kant (pois, é a vida) e não resisti à season seis de orange is the new black > não está a desiludir.

 

 

 

 

 

 

 

a ternura e a meiguice têm um nome: Filipe

filipe.JPG

 

Filipe, Filipinho, Filipão

o Filipe é assim como eu: um bocadinho roliço, simpático e amigo do seu amigo. convive lindamente com outros patudos e com os patudos de duas patas, if you know what i mean!

sempre o conheci na UPPA - União Para a Protecção dos Animais - e já sou oficialmente voluntária desde 2015. está na hora do Filipe ter a sua terceira oportunidade.

 

acreditem: o Filipe é tão meigo e pachorrento como aparenta nas fotografias 

gosta de um bom passeio e da companhia das pessoas. tem uma capacidade extraordinária para fazer limpezas de pele. eu sei, é um "mal" do qual sofrem alguns UPPAlianos. e nós, os voluntários, só temos uma hipótese: é aceitar o mimo e o carinho. o Filipe sempre me recebeu bem, no albergue. mas confesso que gostava muito de um dia ir ao albergue e não o ver lá, por motivos de "adopção". 

somos voluntários, criamos laços com estes animais. MAS a verdade é que estamos lá para os ver ir embora:

É inevitável criar empatia e laços mais fortes com um ou outro canito. É impossível, creio. Por isso custa vê-los ir embora. Saber que estão bem e felizes é aquilo que nos tranquiliza. Proporcionar a melhor vida possível aos outros cães que ficam - é essa a tarefa que os voluntários têm e assumem, entre lágrimas de alegria pelas adopções felizes e responsáveis.

 

Filipe.png

 

fotografias de arquivo da UPPA - União Para a Protecção dos Animais

pesquisem no twitter / instagram por #uppa_animais

fotógrafa: Joana Gomes

+ informações sobre o Filipe  no facebook da associação

 

para adoptar: uppa.adoptantes@gmail.com

para apadrinhar: uppa.apadrinhamento@gmail.com

 

éssebêésseérre 2018: o balanço

 

 

 

 

37573108_1719958494720023_8881619174124683264_n.jp

 

eu já explico a fotografia. sim, há uma explicação! antes disso gostaria aqui de falar do super bock super rock deste ano. o cartaz era aquilo que toda a gente sabe, com poucos argumentos face ao alive (que acontece sempre na semana anterior). 

tendo em conta a quantidade de passatemos e a acção de oferta de 1000 bilhetes no dia 21, sábado, parecia-nos que as vendas dos bilhetes não tinham sido nada por aí além. 

 

podem visitar o site musicfest.pt e ler os meus artigos e espreitar as fotografias que o marco almeida tirou.

 

o balanço do #sbsr?

 

então é assim:

18,4 km = 34 557 passos

seis artigos, num total de 3 645 palavras 

um troll de estimação, no twitter (desde 2016)

 

conheci a Jules (imaginem só! julho de 2018 e eu a conhecer 'ssoas because blogging!) e encontrei uma mão cheia de 'ssoas amigas e outras assim p'ró conhecidas (adivinhem de onde? das redes!)

 

quanto à fotografia

a ideia foi recriar a fotografia de 2016. todavia, só havia uma fatia de pão nas imediações. assim sendo, a ideia foi do marco: "vais comer o bacon contra a parede". está bem. só que XARAAAM apareceu a outra fatia de pão. e o resultado está à vista. ficou um primor, não ficou?

 

 

 

 

 

 

 

 

 

antes e depois

DiTXcAcWkAIjjVG.jpg

falava com a Sandra, a minha nutricionista sobre a vitória que foi vestir aqueles calções. e veio-me à memória estas calças de ganga, que não visto há uns 3, talvez 4 anos. adoro o corte, adoro o tecido, mas não conseguia enfiar-me lá dentro. 

há um ano e tal fiz uma limpeza ao armário e sei que separei algumas calças que na altura não me serviam para despachar para a Zélia (que faz re-utilização de tecidos e de roupas). pensei: nunca mais me meto dentro disto. MAS. MAS! deixei ficar este par. só naquela. quem sabe? hum?

ontem vesti as ditas cujas. vesti mesmo. até à cintura. apertei o botão. o fecho. e conseguia respirar. tão bom!

ainda não me sinto confiante para sair com as calças à rua: é que marcam ali o pneu, sabem? e vou esperar que o volume diminua mais um bocadito para ganhar essa confiança.

estas não precisam de cinto. mas há outras que sim, precisam. e o cinto precisou de furos. pedi ao mano para fazer mais um furo: e ele fez mais três. cheio de confiança, hein, manu lindu?

Yara, a cadela que sorri

 

Yara1.jpg

 

a Yara enquadra-se, sem sombra de dúvida, na categoria de boa CÃOpanheira

entramos na box e somos recebidos com um mega sorriso da Yara. ela é muito meiga e sociável, com humanos e também com outros cães. quando conheci esta miúda gira ela partilhava a box com o Fuguita (de quem já vos falei aqui). agora vive com o Tommy e o Kenzo (dois UPPAlianos que também estão na UPPA - União Para a Protecção dos Animais para adopção). 

cá para mim, o seu coração pertence ao Fuga. e à família que a possa adoptar. 

 

depois do resgate, a UPPA foi e é, ainda, a sua casa

a Yara chegou à UPPA com 5 meses e ainda não encontrou a sua família-metade. será que é hoje? será que a família da Yara está aí, desse lado? 

e se está a pensar: bom, mas eu não tenho um quintal, vivo num apartamento... será que a adopção vai correr bem? confesso que já vi adopções de animais de porte grande, em apartamento, que correram muito bem. os tutores adaptaram a sua vida às necessidades de passeio do patudo e, com calma e paciência, conseguiram a harmonia necessária.

(...) os passeios são fundamentais para que o cão possa fazer as suas necessidades fisiológicas. Há que criar rotinas de acordo com os nossos horários. Nos primeiros dias pode haver algum desacerto nestes horários, cujo resultado será um xixi ou um cocó num sítio indesejado. Com paciência e rotinas tudo se consegue.

 

Yara.jpg

  

fotografias de arquivo da UPPA - União Para a Protecção dos Animais

pesquisem no twitter / instagram por #uppa_animais

fotógrafa: Joana Gomes

+ informações sobre a Yara  no facebook da associação

 

para adoptar: uppa.adoptantes@gmail.com

para apadrinhar: uppa.apadrinhamento@gmail.com

coisas que não engordam: séries

Unknown.jpeg

depois de UNABOMBER - MANHUNT estava mesmo a precisar de uma série para distrair. Ta-DA! GLOW apareceu na minha vida. a banda sonora é só fantástica e a história acaba mesmo por nos prender. não sou fã de wrestling, mas gostei mesmo desta série. e sim, arrumei as duas temporadas num só assalto!

 

Unknown-1.jpeg

 

GOOD GIRLS foi a sugestão que a netflix me deu e eu aceitei. é uma história com comédia, drama e crime à mistura. estou agora mesmo a começar e já estou a gostar da companhia da beth, ruby e annie. 

 

 

 

 

 

(o meu) kit essencial para os festivais de verão

 

o verão não chegou, mas os festivais já se fazem ouvir, fim-de-semana sim, fim-de-semana sim. não tenho experiência em festivais que exigem acampamento, pelo que este não será o artigo ideal para ler, caso seja essa a vossa premissa.

 

tumblr_pbx5bvdt3B1qhzqx6o1_500.jpg

 

 

planear a ida e a volta

é importante planear bem a hora de ida, bem como a de volta. os transportes públicos podem ser uma boa opção, mas é melhor investir algum tempo a investir nos horários. 

caso a escolha seja a do transporte próprio, verifiquem possibilidades de estacionamento nas imediações. se o estacionamento for pago, levem moedas e/ou instalem a aplicação da emel (em lisboa).

roupa e calçado confortável

num festival passamos algumas horas em pé e nem sempre temos uma cadeira limpa para nos sentarmos: o chão pode ser o local ideal para descansarmos. nada como levar uma roupa confortável, bem como um par de ténis com alguma rodagem e que garantidamente não nos vão moer os pés. quanto ao look mais ou menos fashion, fica uma dica: evitem as tshirts dos ramones ou dos guns. os senhores não estar em nenhum dos festivais deste verão, em portugal. aconselha-se um agasalho, pois a noite traz uma brisa que pode arrefecer o decote mais generoso. 

smartphone, power bank e o respectivo cabinho

para estarmos em contacto, para irmos ao instagram quando o concerto está chato, para largar uns disparates no twitter: o telefone e uma bateria extra são elementos FUNDAMENTAIS no kit do festivaleiro!

poop bags (eu explico!!) e toalhitas 

a experiência de ir a uma casa de banho durante o festival é digna de vários capítulos de uma história que cheira mal. desculpem, mas é assim mesmo. há uns anos passei horrores nos WV portáteis do bons sons. no alive são filas e filas e depois a porta não se segura e não há papel higiénico. mais dramático, quando se é mulher o estamos em pleno ciclo menstrual: os WC não têm caixotes do lixo. e depois é aquilo que se sabe e que me escuso a descrever aqui. por esse motivo, coloco sempre na mochila um rolo de sacos para os cocós do cão que me servem de caixote do lixo. e claro, as toalhitas (ou dodots) são parte integrante da mochila e/ou mala à tiracolo. 

tampões para os ouvidos, óculos de sol e o protector solar. e preservativos.

para nos proteger do som - mesmo que seja a nossa banda preferida, hey, isto é coisa para nos arreliar o tímpano! - e para nos proteger do sol: tampões nos ouvidos, óculos de sol e não sair de casa sem o protector solar. um chapéu giro e fashion também fará maravillhas.

e sim, perservativos because é melhor prevenir do que DST ou pílula do dia seguinte, certo? 

trocos (sim, dinheiro a sério, notas e moedas!)

ainda que haja atm nos festivais, a verdade é que ter trocos connosco poderá poupar-nos tempo nas filas.  

mala à tiracolo & carteira 

vacilo entre a escolha da mochila e da mala à tiracolo. esta última tem como vantagem ter tudo "à mão". 

na vossa carteira levem apenas o essencial: o documento de identificação, a carta de condução e o cartão de dador de sangue (sim, caso tenham um acidente, dá jeito saber o tipo de sangue. desculpem lá o tom demasiado realista da coisa!). caso escolham os transportes públicos, levem o passe ou o bilhete já carregado. não vão precisar dos cartões de desconto nem do cartão de sócio do vosso clube de futebol.

 

*

caso se estejam a preparar para ir ao sbsr, tal como eu, verifiquem a lista de objectos proibidos. lembrem-se que há revista à entrada do festival e não vale a pena levar aquilo que será barado. para consultar os horários deste (e de outros festivais) aconselho-vos a visitar o site musicfest.pt - estarei presente no sbsr como repórter, pelo terceiro ano consecutivo. é um daqueles voluntariados que se fazem por amizade e por gosto à escrita. e mal posso esperar pelo dia 19 de julho e pelo tributo ao zé pedro (e sim, vou comprar uma das tshirts mai'lindas!), pelo slow j e pelo sr clementine. 

 

há um cavalheiro charmoso que se chama Fuga

Fuga3.jpg

 

antes de mais nada, expliquemos o motivo do nome

o Fuga foi encontrado em Birre por uma voluntária da UPPA - União Para a Protecção dos Animais, literalmente em fuga aos carros com os quais se cruzava na estrada. foi levado ao veterinário para verificar se tinha chip - e nada. está desde então na UPPA, onde derrete corações com o seu charme. a seu lado, CÃOpanheiras jovens que não resistem ao sorriso do Fuguita (é assim que carinhosamente o tratamos).

 

o Fuga aguarda a sua terceira oportunidade

o Fuga é dos cães mais educados com os quais já me cruzei. graças ao trabalho de um voluntário que passou pela UPPA, o Fuguita aprendeu o senta, a dar a pata, a ir lado a lado connosco, nos passeios. é muito obediente e adora fazer limpezas de pele na nossa cara. é muito sociável com humanos e um querido na presença de crianças. 

 

adoptar um cão... será uma boa ideia?

é uma excelente ideia - e uma decisão que deverá ser ponderada:

Trata-se de uma decisão importante e que, muitas vezes, interfere com a vida dos outros à nossa volta – a nossa família de pessoas humanas. Antes de tomar essa decisão, há algumas questões que temos que ter em consideração. Organizei uma espécie de check list para que todos os futuros donos possam ter em conta antes de decidir pela entrada de um amigo de quatro patas na sua vida.

 

Fuga4.png

 

fotografias de arquivo da UPPA - União Para a Protecção dos Animais

pesquisem no twitter / instagram por #uppa_animais

fotógrafa: Joana Gomes

+ informações sobre o Fuguita  no site da associação

 

para adoptar: uppa.adoptantes@gmail.com

para apadrinhar: uppa.apadrinhamento@gmail.com

olá, eu sou a joana e deixei de ir ao alive

e sim, eu era aquela miúda que comprava o passe dos 3 dias, mesmo sem cartaz fechado, assim mesmo na loucura. motivo? a experiência do festival era (como diz a malta nova) TOP.

um festival urbano, com mais do que um palco e com um cartaz que acabava por se revelar daqueles que "sim senhor".

a última vez que marquei presença no alive foi em trabalho. a sala de imprensa é catita, sim. temos boas condições de trabalho. MAS.

MAS. o festival está impossível em termos de circulação. há demasiada gente no recinto. o acesso aos WC é um drama. e a saída, ao final da noite, com aquela caminhada via cril é insuportável.

um festival vive do cartaz - e também da experiência que proporciona. para isso contam as acessibilidades, as questões logísticas. 

 

portanto aquela 'ssoa que comprava o passe "just because" e que comprava as tshirts,em cada edição, desistiu do alive para se fidelizar ao éssebêésseérre - e só não se fideliza ao paredes de coura devido à distância e ao necessário investimento em deslocações e estadia. 

 

com tudo isto, se estiverem pelo #sbsr apitem, sim? 

 

 

Pág. 1/2

Mais sobre mim

foto do autor

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2010
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2009
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2008
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D