Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

all about little lady bug

ir, fazer acontecer, filosofar, sonhar, amar, amarfanhar, imaginar, criar, dançar, aprender e escrever - não necessariamente por esta ordem

all about little lady bug

ir, fazer acontecer, filosofar, sonhar, amar, amarfanhar, imaginar, criar, dançar, aprender e escrever - não necessariamente por esta ordem

O que se leva desta vida?

- 20 min na cadeira da dentista que, apesar de me encher a boca (salvo seja) de tubos, insiste em dialogar comigo. e faz uma pausa para que eu lhe responda;
- descobrir que em Vila Franca de Xira se vende vodka em tubos;
- ler e reler o Princezinho como se fosse a primeira vez;
- discutir metafísica (ou roupa, vá) à mesa de um Starbucks;
- ir ao Estádio da Luz e vibrar com os golos!;
- o prazer de comer donuts «tresmalhados» no bar da faculdade;
- escolher os dias de aulas a que posso faltar para ir aos concertos;
- perceber que Calcutá fica na (Rua da) Atalaia;
- manter a (face) oculta perante a (pseudo) vida política nacional;
- olhar para o livro do Lobo Antunes e dizer: «espera aí só um bocadinho, que eu já te acompanho»;
- aniquilar um chocolate XXL por cada exame do mestrado...

e mais, muito mais!
Por isso, minhas gentes, queixem-se MENOS e vivam mais. É do calor, é da chuva, é do dinheiro que não chega, é disto é daquilo... Não há (  .  ) que aguente, 'tá?


she wants to know what love is...


(foto retirada daqui)

Precious é o filme que revela ao mundo (e arredores) a face oculta de Mariah Carey. Oh 'pariga... um bocadito de sol assim na carita ia fazer-te bem.
Mas vá, não desanimem... vejam lá a miúda com bom aspecto e esqueçam a foto aqui apresentada.

Olhem aqui... com o giraço que faz de Michael no Prison Break *suspiros*
Ou aqui!

ahhhhh e giro giro é o Lenny Kravitz que também é protagonista do filme. Mas que é giro, vá, todos os dias.

oh p'ra mim a fazer de conta que sou crítica de cinema


INVICTUS


O Morgan Freeman é actor para nunca me ter desiludido. É. E o Clint Eastwood realiza como ninguém. O Matt Damon é rapaz apessoado, que faz boa figura e se tem revelado como um «menino bonito» capaz de grandes desafios de representação.
Juntem a história de vida de Mandela. Misturem bem. Coloquem no forno, durante cerca de duas horas. E apreciem este GRANDE filme.




Nas Nuvens: ou de como a felicidade é (aquilo que é)



Dizem que é um filme deprimente. E que o Clooney… tão giro e assim não fica com a miúda.
Tinha que ficar? Ou tinha que passar pelo romance com a miúda para se reconciliar consigo mesmo?
O que entendes por final feliz? Se me te parece uma dupla questão, diz-me: o que entendes por final? E depois diz-me: o que é ser feliz? E olhando para a personagem de Clooney aplica lá esses dois conceitos.
Sim, eu fico aqui à espera. Sim, espero pois. Por quanto tempo? Er… o tempo de fazer dez mil milhas, com apenas uma mochila às costas.

É, vá, a história da minha vida.

Não sei se terei nascido a dançar [e não vou acordar mamãe Sabel para lhe perguntar isso agora] mas o certo é que sou fiel ao Joaninha voa voa.
Voar, dançar. Sempre a mexer.
E aqui e ali encontro o meu momento de repouso. E de tranquilidade.
Mas por agora deixem-me ir só ali, fazer 3 exames, mudar o mundo, resgatar sorrisos, abanar o cachecol e ser...!

VOLTO JÁ :)

não sei se dura sempre esse teu beijo [Sérgio Godinho]

Cansados vão os corpos para casa

Dos ritmos imitados doutra dança

A noite finge ser

Ainda uma criança de olhos na lua

Com a sua

Cegueira da razão e do desejo

A noite é cega, as sombras de Lisboa

São da cidade branca a escura face

Lisboa é mãe solteira

Amou como se fosse a mais indefesa

Princesa

Que as trevas algum dia coroaram

Não sei se dura sempre esse teu beijo

Ou apenas o que resta desta noite

O vento, enfim, parou

Já mal o vejo

Por sobre o Tejo

E já tudo pode ser

Tudo aquilo que parece

Na Lisboa que amanhece

O Tejo que reflecte o dia à solta

æ noite é prisioneiro dos olhares

Ao Cais dos Miradoiros

Vão chegando dos bares os navegantes

Amantes

Das teias que o amor e o fumo tecem

E o Necas que julgou que era cantora

Que as dádivas da noite são eternas

Mal chega a madrugada

Tem que rapar as pernas para que o dia

Não traia

Dietriches que não foram nem Marlénes

Em sonhos, é sabido, não se morre

Aliás essa é a Única vantagem

De após o vão trabalho

O povo ir de viagem ao sono fundo

Fecundo

Em glórias e terrores e aventuras

E ai de quem acorda estremunhado

Espreitando pela fresta a ver se é dia

E as simples ansiedades

Ditam sentenças friamente ao ouvido

Ruído

Que a noite se acostuma e transfigura

Na Lisboa que amanhece


Mais sobre mim

foto do autor

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2010
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2009
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2008
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D