Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

all about little lady bug

ir, fazer acontecer, filosofar, sonhar, amar, amarfanhar, imaginar, criar, dançar, aprender e escrever - não necessariamente por esta ordem

all about little lady bug

ir, fazer acontecer, filosofar, sonhar, amar, amarfanhar, imaginar, criar, dançar, aprender e escrever - não necessariamente por esta ordem

hello, geração Z!

Screenshot 2017-05-23 10.46.31.png

 

Hello, Geração Z é primeiro workshop que está integrado no Braga Open Weekque este ano tem uma edição totalmente dedicada à NEXT GEN, onde serão debatidos temas das mais variadas áreas acerca do impacto das Novas Gerações que ditam tendências no mercado organizacional e que implicam novos modelos de gestão e de liderança, de marketing e inovadoras formas de comunicação e partilha.

“Vou publicar”, dizia uma adolescente para as amigas, enquanto desciam as escadas do metro, cada uma com o seu smartphone em punho. As amigas não se fizeram rogadas: aguardavam a publicação para poder fazer like, para deixar “coraçãozinho”, para partilhar e comentar com #bff. Assim é a vida da geração Z,  que amanhã vai entrar no mercado de trabalho e que é a geração mais ONLIFE de sempre. E nós fazemos parte dela. Descubra o comportamento dos futuros profissionais do mercado e de como as gerações atuais se vão adaptar.

Data de realização: 2/Junho das 19h00 – 19h40
Local: Escola Profissional de Braga

 

adivinhem quem é a 'ssoa oradora, quem é? 

 

 

Screenshot 2017-05-23 20.25.43.png

 

"joana, o que é que fazes?" - pelo olhar da Bárbara, a 'nha mai'nova

tumblr_omycrt0pBM1qhzqx6o1_500.jpg

 

a Bárbara tem 5 anos e é a minha afilhada mais nova. nasceu em 2012 e sempre conviveu com o lado digital da vida: os pais tem computador, smartphone, tablet. e sim, lá em casa também há livros e brinquedos - aliás, ainda ela não tinha nascido e eu já lhe tinha comprado um livro com um nome altamente sugestivo. desde sempre que a Bárbara aprendeu a fazer scrool down, a entrar em aplicações, a jogar no telemóvel ou no tablet. desde sempre, assim como aprendeu a brincar às cozinhas, às bonecas, a pintar com lápis de cor ou de cera e tudo aquilo a que uma criança tem direito.

há dias veio visitar-me cá a casa. pediu-me as canetas que lhe tinha emprestado "da outra vez". óbvio que, tendo em conta o caos que está o meu home office, a tarefa de encontrar aquelas canetas não foi bem sucedida. mas encontrei uma caixa de lápis de cor e um puzzle, em branco, para ela pintar. a Bárbara gosta muito de conversar e de fazer perguntas. às tantas olhou para a minha mesa de trabalho e disse: "tu trabalhas num sítio qualquer, não é? levas o computador e sentas-te. até podes ir para a rua e sentar-te a trabalhar."

e é isto mesmo. para a Bárbara é natural que alguém possa ter um trabalho "no computador" e que o possa fazer em qualquer lado, desde que se possa sentar (parece ser um critério para ela, esta coisa de trabalhar sentado). e sabe, também, que eu trabalho nas escolas, na filosofia, com crianças da idade dela. para a Bárbara o mundo é feito de pessoas diferentes: aquelas que têm um emprego fixo, num sítio e aquelas que têm muitos trabalhos e trabalham onde calha. 

a Bárbara faz parte daquela geração, que alguns chamam de Z, que já não se deslumbra com o digital, pois ele faz parte da sua vida. e ponto final. eu, millennial assumida, tive que me adaptar e lutar contra a resistência à mudança.

os desafios da Bárbara são outros, como é natural.

todas as gerações conhecem desafios, mudanças, alegrias, tristezas.

ainda vou ver a Bárbara a ajudar a minha mãe a trabalhar no tablet - é que a mamãe Sabel, nascida em mil nove e cinquenta e quatro, tendo apenas a quarta classe decidiu agora ter um tablet e aprender a navegar na internet. tem a cana e está a aprender a pescar: já comenta as minhas stories no instagram e já percebeu que o facebook é enjoativo, pois as pessoas só dizem mal. daqui a uns tempos é vê-la no twitter, a trocar tweets com o cesar millan. 

 

estranha-se e depois entranha-se - o fernando pessoa foi genial (como sempre) ao escrever este slogan para a coca cola. disse tantas coisas sobre as nossas vidas. 

 

stories, everywhere

C8rHcdtVYAADJF0.jpg

e se de repente te convocam para falar de branding e social crm, numa turma de marketing digital? bom, isso é impulse. e é trabalho. daquele que se faz ao sábado à tarde, com sol lá fora e temperaturas quentes. e com sorriso nos lábios, claro.

para supreender a turma levei comigo um artefacto que contém histórias: não, não foi o instagram ou o facebook. foi mesmo um objecto. um livro.

e não é que fiz um brilharete? melhor ainda quando entreguei a cada um deles um cartão de visita: "um cartão a sério, nem dá para fazer scroll down"

 

pois não. é tão bom ver como esta coisa do digital é MESMO sobre pessoas. e relações. e experiências.

foi um gosto partilhar 3h de conhecimento, exemplos, humor, estratégia, planeamento com alunos motivados e interessados até mais não.

 

 

coisas de março - [em actualização]

 

C5BJ_oyWEAAXFjD.jpg-large.jpeg

 

a minha vida é um intervalo entre um cliente que não paga a horas e outro que não paga atempadamente. a solução tem sido suspender as tarefas até que haja regularização da dívida.

a segurança social de Lisboa sabe coisas que a segurança social da Amadora não sabe. o resultado é que ninguém me escreve, ninguém me responde - pois os e-mails que enviei para a segurança social Geral (acho eu) deixaram de funcionar (??) ou estão por abrir. resultado: acho que ainda não devo dinheiro. acho. tudo depende da segurança social que visitar.

março é o mês da primavera e traz com ele conteúdos para escrever cujo tópico é viagens. e destinos incríveis. e eu, aqui, a ver tudo em fotografias de cortar a respiração. não é justo, pois.

"como vai a tese?" - a esta pergunta eu respondo com "estás a falar daquele monte de papeis e livros que está ali em cima da mesa? pois." 

no mundo acontecem coisas incríveis: gustavo santos dá entrevista e assume que foi o cão que o ensinou a ser pai. há um responsável do coro de uma igreja que é afastado do lugar por ser homossexual - o padre diz que ele tem uma doença ou coisa que o valha.

fui ver o concerto do djodje. e já só penso no ricky martin, em maio.

contei-vos que há 3 semanas fiquei fechada numa escola onde fui dar formação? pois no passado sábado não conseguíamos entrar.

fui ver o filme são jorge e aconselho a todos que o façam: pelos actores, pelo realizador e sobretudo pelas pessoas "comuns" que dele fazem parte.

os maroon 5 têm um single novo.

e é isto.

o mês só vai a meio, certo? 

 

 

 

 

"joana, quando é que fazes cursos de filosofia para crianças e jovens?"

em março e abril vou andar "por aí", com oficinas de filosofia para crianças e jovens e também com cursos de curta duração para adultos (pais, professores, educadores...)

 

cá vão as datas: 

 

O que são oficinas de filosofia?

"Aqui nós aprendemos o que as coisas são, o que são as palavras. andamos a ver o que existe, o que é real, explicamos as palavras e as perguntas!" - dizia o Marco, ao avaliar uma das oficinas de filosofia. Estas pretendem ser um espaço e um tempo para parar para pensar, "treinar" o olhar crítico, explorar possibilidades e investigar - em conjunto. 

 

 

De onde vêm as coisas?

5 de Março, domingo

Oficinas de filosofia

Positive Minds, em Odivelas

10h – crianças dos 4/6 anos

11h – crianças dos 7/10 anos

12h – jovens dos 11 aos 14 anos

Informações:  bookings@positiveminds.pt

 

12 de Março, domingo

Oficinas de filosofia

GROW UP, em Benfica

10h – jovens dos 11 aos 14 anos

11h – crianças dos 7/10 anos

12h – crianças dos 4/6 anos

Informações:  info@joanarita.eu

 

 

Cabecinhas Pensadoras

25 de Março, sábado

Oficinas de filosofia

15h - crianças dos 4/6 anos

16h - crianças dos 7/10 anos

17h - jovens dos 11 aos 14 anos

Crescer com Sentido, em Lisboa (Av. de Berna)

Informações:  crescercomsentido@gmail.com

 

 

O que é um café filosófico?

Trata-se de uma actividade que pretende levar a filosofia para junto das pessoas. Nem sempre acontece num café propriamente dito, é um facto. Acontece perto das pessoas que, independentemente dos seus conhecimentos no âmbito da filosofia, aceitam o desafio para praticar o "parar para pensar".

 

 

Café Filosófico: Para que serve a filosofia?

9 de Março, 18h30

Positive Minds, em Odivelas

Informações: bookings@positiveminds.pt

2 euros da inscrição revertem a favor da UPPA – União Para a Protecção dos Animais

 

Workshops e formação para adultos 

 

Os porquês da palavra porquê

18 de Março, sábado

Workshop de introdução à filosofia para crianças e jovens

Para pais, educadores, professores e outros agentes educativos

Espaço Pegadas, Pontinha

Informações: espacopegadas@gmail.com

 

 

Thinking Minds 

Ciclo de oficinas à volta do pensamento critico

21, 23 e 28 de Março

19h/22h

Positive Minds, em Odivelas

Informações: bookings@positiveminds.pt

 

 

A chapelar é que a gente se entende!

Ciclo de oficinas à volta da criatividade

30 de Março, 4, 6 e 11 de Abril

19h/22h

Positive Minds, em Odivelas

Informações: bookings@positiveminds.pt

 

coisas que janeiro me ensinou

 

 

- é sempre bom estacionar o carro num "lugar a sério" - às vezes a bateria pifa e assim podes deixá-lo por lá, descansada;

- estamos em 2017 e é necessário ir à segurança social, entenda-se a um serviço de atendimento físico, para mostrar os prints dos e-mails aos quais não te respondem - para depois te dizerem que hão-de responder por e-mail;

- para algumas pessoas, falta de ética é não atender o telefone quando se está a trabalhar;

- ainda há pessoas capazes de cumprir promessas. exemplo: Trump;

- há adultos que são exímios na arte de fazer birra - não é tão divertido lidar com as birras dos crescidos como é com as dos mais pequenos;

- valter hugo mãe está no plano nacional de leitura - e eu que só consegui ler  a sua obra infantil "o paraíso são o outros";

- há dossiers pedagógicos que são só amontoados de folhas;

- as crianças reagem mais rápido a uma ameaça do que a um pedido;

- tenho cada vez mais haters: o que significa que só posso estar a fazer alguma coisa bem;

- já o ryan gosling, esse rapazolas, continua lindo. uh LA LA (land). 

 

 

ryan-gosling-on-the-set-of-la-la-land-01.jpg

 

 

para arquivar em "desafio constante"

16123366_402361626767328_806137018970013696_n.jpg

 

dar formação é algo que faço há alguns anos e com muito gosto. gosto de pensar em conteúdos, desenvolver acções "taillor made" e de partilhar o que sei fazer com as pessoas.

também aprecio a possibilidade que a formação me dá, no que ao contacto interpessoal diz respeito: conheço pessoas que trabalham em áreas próximas das minhas - ou que até fazem outras coisas completamente distintas. nunca sabemos bem quem vamos encontrar à nossa frente - e o desafio é o de manter aquelas pessoas interessadas e motivadas em aprender. 

16228784_1834992890090583_8653785018931347456_n.jp

só na semana passada dei cerca de 14 horas de formação: entre o twitter marketing e a filosofia para crianças, duas áreas que me fazem muito feliz. 

para a semana há mais. 

 

*

 

"escolha um trabalho que você ama, abra actividade nas finanças, pague o IVA e a SS, e você terá que trabalhar todos os dias, na sua vida. 
com olheiras até aos tornozelos e um sorriso nos lábios." 

confúcio ft joana rita

 

 

 

para mim o ano começa em setembro...

...mas diz o calendário que começa a 1 de janeiro.

que assim seja.

 

e que seja assim:

o ano da segunda tese de mestrado, de mais uma luta constante para ter trabalho, de férias à séria (é o meu maior desejo), da adopção do Fred e da Riva, da completa recuperação da Mel [#uppa_animais], de muita saúde para as pessoas que estimo, de passeios na hortinha, das publicações académicas, das paixões, das arrumações, do caos, do Kant, da dança, da boa música, dos festivais de verão, dos mil e um tweets, das horas de formação, dos momentos com os amigos.

(não necessariamente por esta ordem. mas isto tudo. quando toca a pedir, peço mesmo. e faço por isso.)

 

 

15623838_1028735250565397_8347796460544196608_n.jp

 

na verdade, o recrutamento é uma espécie de ritual de namoro

vês o anúncio. 

ele parece-te interessante, culto. giro. até tem bom humor.

envias e-mail com o teu melhor cv.

aproximas-te e enrolas os dedos nos cabelos. sorris e mostras que estás disponível. passas por ele e entregas um cartão com o teu número. ele pisca o olho.

 

e depois? 

bom. depois, podem acontecer várias coisas:

 

tens resposta ao e-mail. pedem mais alguns dados, links e/ou cartas de recomendação.

ele convida-te para um café. falam sobre coisas banais, mas não consegues perceber bem se ele também está interessado. não menciona filhos, namorada, família. tudo muito sóbrio. fica num ar um possível convite. 

envias o e-mail com a informação adicional.

na manhã seguinte, envias uma mensagem no whatsapp, a agradecer o café (foi ele que pagou).

és chamada para uma entrevista. 

convida-te para um café e cinema. preparas o teu look mais casual e caprichas no cabelo e no perfume. 

a entrevista corre bem, sentes que há empatia e um certo alinhamento nas perspectivas de trabalho. "até ao final da semana dizemos alguma coisa"

o filme era interessante e ele até comentou como o teu perfume é agradável. "vamos falando, talvez para a semana possamos combinar alguma coisa"

 

e depois?

depois?

bom, é como diz o cantor "depois de ti mais nada". NADA. nem um telefonema, nem um e-mail, nem uma mísera mensagem. NADA. nem um "obrigado, mas o teu perfil não se encaixa". NADA.

 

nos últimos tempos tenho INVESTIDO tempo no envio de cv e também em deslocações para entrevistas. invisto tempo e dinheiro. organizo a vida de freelancer para poder comparecer a tempo e horas. e depois fico à espera de resposta. negativa ou positiva, era TÃO MAS TÃO SIMPÁTICO dizer alguma coisa às pessoas que - repito - investem tempo, dinheiro e organizam a sua vida para estar presente numa ou em várias fases de recrutamento. 

talvez isto seja uma daquelas coisas "normais" dos dias de hoje, às quais nunca me vou habituar. vá.

 

(nem um telefonema. bolas, o meu melhor perfume - dos originais e tudo, não era cá aquelas coisas da equivalenza!)