Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

all about little lady bug

ir, fazer acontecer, filosofar, sonhar, amar, amarfanhar, imaginar, criar, dançar, aprender e escrever - não necessariamente por esta ordem

all about little lady bug

ir, fazer acontecer, filosofar, sonhar, amar, amarfanhar, imaginar, criar, dançar, aprender e escrever - não necessariamente por esta ordem

das tardes com coisas e 'ssoas preferidas

tumblr_nlzoglDfjz1qhzqx6o1_500.jpg

 

tumblr_nlzg34MY1Z1qhzqx6o1_500.jpg

 

tumblr_nlzaxrysar1qhzqx6o1_500.jpg

 

ir ao teatro é, para mim, uma necessidade - não um luxo.

ter a oportunidade de ver albano jerónimo, custódia gallego e uma mão cheia de bons actores no palco do meu teatro preferido - o Nacional - era algo que não podia perder.

lamento ter de escolher tanto as peças às quais vou assistir - mas o orçamento não permite. assim, quando vou, saboreio cada momento.

antes da peça, um pulinho até ao segundo andar para ver as obras do vhils. já sabia da sua existência desde que tinha realizado o café central para a gerador #3, com o alexandre farto e a luísa cortesão. mas ainda não tinha ido visitar. uau. a simplicidade. e depois o sol de lisboa a entrar pela sala... perfeito. a somar a isto, a companhia da senhora minha mãe.

e a peça? pirandello. descrevê-la é pensar em humor e boas perguntas, sobre a vida e outras coisas que tais.

recomendo - só está em cena até ao dia 4 de abril. e aquilo que trazemos connosco, da peça, justifica cada cêntimo do bilhete.

 

 

um até já que deixa um nó na garganta



não sou pessoa de adeus. sou pessoa de até já.

hoje fui ao Teatro Rápido para deixar um até já. fui "à corrida" para ver a última peça do dia.

"amar mata".

e por muito que amemos o TR temos que o deixar partir. era insustentável, ainda que maravilhoso.

há tantas coisas assim na vida: que nos dão tanto e muito - e levam o dobro.


até já TR. foi uma viagem maravilhosa, dois anos a crescer convosco, com "shots" de pura emoção.


"o projecto perdeu viabilidade"

 

 

lamento.

no TR vivi momentos muito felizes. lancei um livro, fiz uma curta de cinema em parceria com o Mário Pires, uma exposição de fotografia... e, acima de tudo, fiz amigos, conheci pessoas humanas fantásticas e assisti a verdadeiras obras de teatro.

 

lamento que projectos como este, com a capacidade de elevar a cultura e de a levar a todos, não consigam sobreviver. lamento.

gostava muito que o mecenas tivesse aparecido e o desfecho desta "peça" fosse diferente. espero que as portas das salas 1, 2, 3 e 4 se abram de novo.

 

até já, TR. levo as pessoas que aí conheci comigo, junto ao coração.