Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

all about little lady bug

ir, fazer acontecer, filosofar, sonhar, amar, amarfanhar, imaginar, criar, dançar, aprender e escrever - não necessariamente por esta ordem

all about little lady bug

ir, fazer acontecer, filosofar, sonhar, amar, amarfanhar, imaginar, criar, dançar, aprender e escrever - não necessariamente por esta ordem

muito OBRIGADA!

tumblr_neb9tseBKj1qhzqx6o1_500.jpg

 

os 55 livros já estão comigo e para a semana vão começar a "invadir" as salas de aulas dos meus alunos.

 

com o apoio de amigos - e de (des)conhecidos que reagiram ao apelo via twitter - bem como da empresa Remax4Ever, foi possível comprar estes livros e ainda algum material de apoio para as aulas.

 

muito, muito obrigada. eternamente grata! 

a vaquinha (filosófica) que (sor)ri

tumblr_n7yiqv8JYR1qhzqx6o1_500.jpg

 

obrigada ao José, ao João, à Ana, à Marta, ao outro João, à outra Ana e a todos vós que, com carinho, disseram "na sexta feira faço uma transferência" 

acreditem que as vossas contribuições vão fazer a diferença neste ano lectivo - e nos próximos. 

para além dos livros e com o VOSSO apoio vou poder garantir material de desgaste para as aulas - resmas de papel, post it e tinteiros para as impressões dos exercícios.

 

apenas posso dizer OBRIGADA. 

a vaquinha vai engordando!

tumblr_n7yiqv8JYR1qhzqx6o1_500.jpg

 

obrigada a todos pelas contribuições que foram chegando nos últimos dias. há uma empresa que também vai ajudar o que deu um bom empurrão na engorda da vaquinha!

vou agendar a compra dos primeiros livros ainda esta semana.

 

sim, contribuir com 1 euro faz toda a diferença e eu aceito com um sorriso "muito enorme".

podem pedir o NIB para o e-mail joanarssousa@gmail.com 

 

para a malta que está próxima de mim e com quem me posso encontrar:

também aceito materiais, se preferirem comprar:

baralhos de cartas (para fazer jogos), post it e resmas de papel A4. e cadernos? também!  

 

 

cor de rosa assim assim [vou escrever este post e vocês vão odiar-me. não faz mal]

 

todos conhecemos o caso da Leonor (a Nono), uma menina a quem foi diagnosticado um cancro no rim. o caso tornou-se mediático: página de facebook Os Aprendizes de Nono, capas de revista, uma onda de solidariedade IMENSA para ajudar esta menina e a sua família a procurar ajuda na Alemanha.

conheço outros casos de famílias que recorreram à exposição pública de algo que lhes é privado (o estado de saúde e os constrangimentos financeiros) para TENTAR a possibilidade de tratar os seus entes queridos na Alemanha. sei que não é uma situação fácil e acaba por ser um último recurso. 

todavia, o caso da Nono ganhou um mediatismo enorme. lembro-me de estar no coliseu dos recreios num concerto solidário, para angariar fundos para uma associação, que honraria a luta da pequena e de outras crianças que como ela sofrem com uma doença que é uma grande filha da meretriz e que ninguém merece: o cancro. 

hoje apareceu-me um post patrocinado no facebook, que anunciava o lançamento do livro Côderosa.fui espreitar o que era, pareceu-me ser a Nono na capa do livro. e era.

 

"A nossa Missão Côderosa é proporcionar Recursos Emocionais e Mentais, através do Coaching e da PNL, a crianças e adolescentes Oncológicos e seus Familiares." - pode ler-se no "sobre" da página. o livro é assinado pelo pai da menina. 

 

confesso que a dada altura tive que fazer deslike na página dos Aprendizes da Nono. para mim, era demasiada exposição da intimidade da criança e custava-me ler aquilo. sei que a realidade destas crianças não é fácil (fui voluntária no IPO, no serviço de pediatria e vi muita coisa) - e as famílias sofrem imenso. sofrem demais e ninguém deveria ser exposto a esse sofrimento. ninguém.

 

olhando de forma nua e crua para isto temos uma mãe e um pai, cada um para o seu lado, em associações e movimentos diferentes, a (ab)usar da imagem da menina. 

 

não compreendo estes lutos em forma de post de facebook ou de livro. a vida da menina - e a sua lamentável morte, tão cedo - merecem mais respeito. 

 

e sim, podem odiar-me agora. fui das poucas pessoas que não mudou o perfil de facebook para uma coisa cor de rosa - e aposto que também me odiaram na altura. há coisas demasiado íntimas - a morte é uma delas. 

 

 

Pág. 1/4